O Priosioneiro Da Grade De Ferro pode ser considerado como um dos maiores documentarios do Brasil, sem duvida uma obra prima na história do audiovisual brasileiro e internacional. É um olhar do preso:

“Em uma cena de O Prisioneiro da Grade de Ferro (Auto-Retratos), Dennison Ramalho, aqui assistente de direção, empresta uma câmera a um detento pela estreita escotilha do “Amarelo”, uma das cerradíssimas celas de segurança máxima do complexo carcerário do Carandiru. Fica claro, aqui, que a equipe de filmagem consegue ir até certo ponto (o mais profundo, aliás, que alguém de fora dali já conseguiu chegar) e a mini DV é quem segue adiante, sem limites, operada pelos detentos e tendo um acesso mais íntimo àquele dramático espaço.”











“Um dos cerca de vinte detentos escolhidos para participar de um curso preparatório de vídeo e das filmagens do documentário O Prisioneiro da grade de ferro (auto-retratos) (2003), Joel se diz amador, mas tem a chance de mostrar, com a câmera na mão, a sua visão da Casa de Detenção.”